ALIMENTOS ESTRESSANTES, COMO EVITÁ-LOS

HÁBITOS SAUDÁVEIS E MUDANÇAS NA ALIMENTAÇÃO AJUDAM A DIMINUIR OS NÍVEIS E EFEITOS DESSE “MAL SOCIAL”

Períodos estressantes esgotam os nutrientes do organismo e a má nutrição reduz nossa capacidade de superar o estresse. A ansiedade é um dos fatores estressantes altamente prejudiciais. Ela desgasta as glândulas supra-renais, causando um estado energético severamente comprometido. Se estivermos constantemente sob pressão, precisamos de mais vitaminas B e nutrientes antioxidantes”, explica a nutricionista Alexandra Marinho, clínica funcional da Nutrir Assessoria.Esgotamento físico, insônia, taquicardia, dores de cabeça, apatia, memória fraca, irritabilidade, desmotivação e ansiedade estão entre os sintomas do estresse. Um dos principais fatores que contribuem para a permanência desse estado são os alimentos que consumimos.

Uma simples mudança nos hábitos alimentares, com a redução no consumo de certos tipos de alimentos e a introdução de outros na dieta diária auxiliam a diminuição dos níveis desse problema e contribuem para uma vida saudável. O estresse libera o hormônio cortisol em grandes quantidades. Por causa desse aumento, o corpo fica com um nível elevado de toxinas e algumas funções fisiológicas alteradas. De acordo com Alexandra, a nutrição e a saúde ficam prejudicadas. Nesse caso, o procedimento indicado é realizar um planejamento nutricional para diminuir o nível de cortisol.

Para combater o estresse de forma saudável, é preciso adquirir consciência sobre importância dos alimentos que consumimos. Através de hábitos simples, a situação de esgotamento físico e mental pode ser minimizada. Pequenas mudanças como a ingestão de alimentos naturais e saudáveis ajudam a controlar o problema.

“É preciso aumentar o consumo de alimentos como frutas, verduras e legumes que geralmente são ricos em antioxidantes. Também é bom inserir no consumo diário nozes, carnes, aspargos, brócolis, aveia, soja, cereais e grãos em geral, que tem muita vitamina do complexo B, fundamentais para diminuir o estresse”, explica a nutricionista Alexandra Marinho, nutricionista clínica funcional da Nutrir Assesoria.

Conheça os alimentos “estressantes”

Alguns alimentos prejudicam a saúde e provocam estresse. Embora estejam presentes com regularidade na alimentação de muitas pessoas, são considerados prejudiciais ao organismo e potencializam os efeitos desse mal. Destacam-se, entre todos, o açúcar, refrigerantes, cafeína, álcool, alimentos industrializados e processados, batata frita e frituras em geral.

A ingestão de açúcar provoca momentos de energia no organismo. Em seguida, o nível calórico diminui e cria-se a sensação de fome, quando na verdade o que se tem é uma hipoglicemia. Isso ocorre porque o corpo libera muita insulina no sangue de uma só vez, em uma tentativa de baixar o nível de açúcar.

A cafeína aumenta os níveis de estresse porque estimula o sistema nervoso central. Também afeta o humos, tornando o indivíduo hiperativo, instável e irritadiço. Além disso, há uma tendência a tomar café em situações de estresse pois ela age como estimulante. No entanto, se quiser relaxar, passe longe do café. Não só no café encontramos a cafeína, mas em diversos chás, refrigerantes e chocolates.

O álcool provoca efeitos como a interrupção do sono, o desgaste do fígado, a desidratação e o estímulo às glândulas supra-renais, o que eleva o nível de estresse e insônia. Além de provocar uma falsa sensação de bem estar.

Os refrigerantes possuem nível elevado de açúcar e cafeína, além de uma enorme quantidade de corantes artificiais e sulfitos. Essas substâncias, também chamadas de xenobióticos, afetam a absorção dos nutrientes e desequilibram as células do corpo. Por se tratarem de uma bebida extremamente ácida, podem comprometer a saúde do estômago. O excesso de fósforo, presente em alguns tipos, pode fazer com que os ossos percam o cálcio, causando, em alguns casos, a osteoporose. As altas quantidades de sódio também podem prejudicar os rins.

Os alimentos industrializados e processados, assim como qualquer alimento feito com farinha branca, esgotam todos os nutrientes naturais dos alimentos. Um alerta importante é sobre a sua estocagem, pois, se feita incorretamente pode acarretar inúmeras complicações na hora da ingestão.

A batata frita e as frituras contêm a gordura trans, altamente prejudicial ao organismo. Quando aquecidas em altas temperaturas, as batatas produzem uma substância chamada acrilamida, que também é responsável pelo câncer. O óleo utilizado nas frituras agrava problemas cardíacos e eleva o nível de colesterol.

DICAS PARA DIMINUIR O ESTRESSE

  • Comer frutas, legumes e hortaliças.
  • Beber dois litros de água por dia
  • Se alimentar nos horários previstos, de preferência de 3 em 3 horas.
  • Praticar atividade física regularmente, sem exageros.
  • Uma boa noite de sono pode ajudar muito. (O mecanismo de ganho de peso pode estar sendo desencadeado pelos altos níveis de estresse. Ele altera os hormônios que regulam o modo como seu corpo lida com as calorias ingeridas e os depósitos de gordura, facilitando o desenvolvimento da obesidade).
  • Realize alguma prática de relaxamento diário,
  • Ingerir a quantidade necessária de vitamina C diária, em média 3g.
  • Controlar os cafézinhos e refrigerantes (cafeína).Não tomar mais de uma xícara por dia.